Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

Diário Medicina Preventiva

Uma intensa viagem pelo dia-a-dia de uma estudante de Medicina e, além disso, algumas indicações sobre a importância da prevenção para preservarmos a nossa saúde.

25.Fev.07

ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO E SAÚDE NA CRIANÇA

 
Tenho um peixinho vermelho, chamado “Vanda”, que passa a sua vida a nadar em círculos no aquário. Confesso que é um animal que acho “estúpido” por natureza e que não me convence como animal de estimação.
Mas tenho que aceitar, pois são múltiplos os estudos que defendem a importância dos animais no desenvolvimento das crianças e na sua saúde.
O cão e o gato estão no topo da lista, pois são os que melhor se adaptam às crianças e vice-versa. De qualquer modo se a casa é pequena aconselham um peixe (eu não disse, apesar de não me quererem ouvir, que era um animal estúpido e não “interactivo”, e continuo a achar que é um bicho estúpido), um canário (mal menor, este ao menos “canta”, o pior é se canta mal), uma tartaruga (um bocadinho lenta, não…), são opções viáveis.

Um amigo saudável, rafeiro ou com “pedigree”, não importa, o que prevalece são os benefícios que pode trazer à criança. Os animais de estimação vão fazer as crianças sentir-se especiais e necessárias, e o convívio com os animais de 4 patas reduz a ansiedade e o stress, torna-as mais pacientes e obriga-as a criar hábitos mais saudáveis, estimulando a prática do exercício físico e o contacto com a natureza, principalmente se for um cão.
 

 
O estudo diz:
 
Que os animais de estimação desenvolvem o sentido de responsabilidade da criança, assim como a pontualidade e a limpeza.
Favorecem a interacção com o meio envolvente e a extroversão.
Incutem o respeito e a ligação à natureza.
Aumentam a confiança e a auto-estima da criança.
Promovem a actividade física.
Ensinam a criança a estar atenta às necessidades dos outros.
São companheiros incondicionais.
Fornecem lições de vida em relação às doenças e como lidar com elas.
Estimulam os sentimentos de afectividade, afeição e lealdade.
Diminuem a agressividade e o mau comportamento das crianças em casa e na escola.
Reduzem a ansiedade e o stress.
Quem diria, pensando melhor, acho mesmo que vou ter que oferecer um animal de estimação, a alguns dos meus amigos carentes, talvez um hamster, um cágado, porque não uma iguana.

 

“Os animais são amigos tão agradáveis:

não fazem perguntas, não criticam.”

George Elliot